NOTIFICAÇÃO PARA... OS PAIS.

...

Na última terça-feira (22), a Rede Globo anunciou os finalistas ao Prêmio Profissionais do Ano 2020. A ART&C entrou na disputa com o filme “Notificação para os Pais”, produzido para o cliente Miranda. Embora tenha sido pensado para uma empresa que, basicamente, vende tecnologia, o roteiro nos alerta para a importância de ficar “um pouco mais off” e dar atenção aos filhos. Ponto pra Miranda. E ponto pra Art&C.

Esse tema vem sendo frequentemente tratado de diversas formas, seja por veículos midiáticos, por pesquisas científicas, ou mesmo nas rodas de conversas de adultos. Mas na maioria das vezes são as crianças que levam o “puxão de orelha” – ora são tratadas como vulneráveis, ora são vistas como viciadas. “A infância não é mais a mesma” ou “eu aproveitei muito mais a minha infância do que esses meninos e meninas de hoje, que só querem saber de celular e rede social” são discursos recorrentes nesse universo.

Assim, a inversão feita no filme ressalta um fato inquestionável: todos nós mudamos. E todos devemos utilizar as mídias de forma consciente e crítica, prestando atenção também no nosso redor.

Em minhas pesquisas e estudos sobre o tema, tenho percebido o quanto a família funciona como uma espécie de espelho para os pequenos, que na maioria das vezes tendem a repetir o comportamento observado em casa. Já presenciei crianças falando que seus pais não podem chamá-las de viciadas, uma vez que eles também são (faz sentido, não é?). (Não descartamos, aqui, os inúmeros outros fatores que influenciam hábitos e rotinas das crianças relacionados às mídias – isso fica pra uma outra conversa).

Então, antes de cobrarmos uma postura dos nossos filhos e das nossas crianças, precisamos dar o exemplo. Se queremos que eles fiquem mais off, vamos ficar também.

Em tempo:

A pesquisa TIC Kids Online investiga, anualmente, o uso da internet por crianças e adolescentes no Brasil. Em 2019, ela apontou que 91% dos jovens entrevistados, usuários de internet, afirmaram que seus pais acessam a rede todos os dias ou quase todos os dias. Ainda que não haja dados sobre a frequência diária ou sobre o tipo de atividade realizada, tal porcentagem é um indicativo do quanto o mundo on-line perpassa a vida dos adultos.

Renata
Renata Othon, doutora em Estudos da Mídia (UFRN) e jornalista no IFPE (Campus Cabo de Santo Agostinho).
28 de setembro 2020