A liderança negra na comunicação

...

No mês da consciência negra, algumas lembranças da minha infância sempre voltam pra me cutucar. Eu não sei se vocês passaram por isso quando eram mais novos, mas eu sim: desde as propagandas que passavam na TV até as bonecas nas prateleiras de lojas. Nenhuma daquelas mulheres se pareciam comigo.

Eu queria, então, me enquadrar nesse padrão. Afinal, era a referência que eu tinha.

No mundo da publicidade, principalmente da criação, estamos sempre buscando referências: de roteiros, de direção de arte, de tudo. E quem quer assumir algum tipo de liderança na comunicação, precisa agir do mesmo jeito.

Recentemente, o tema da liderança negra surgiu nos debates devido a programas específicos (como foi o caso da Magalu). O fato é que isso precisa ser mostrado, discutido e modificado. Os negros são a maior força de trabalho no Brasil e apenas 30% dos líderes do nosso país são negros.

Eu sei que esse é um longo processo e que depende de muitos fatores e engrenagens para ser modificado. Mas a mensagem que quero deixar, principalmente para mulheres negras que têm o desejo de estar em algum cargo de liderança, é: busquem suas referências (tanto no Brasil quanto fora) e se cerquem de pessoas que queiram ver o seu crescimento.

Hoje, eu consigo ver propagandas com cacheadas e bonecas negras. Amanhã, quero que pelo menos 50% dos nossos líderes sejam negros. Quando somos representados, conseguimos ser ouvidos e, então modificar a realidade para aquela que também nos beneficia.

Aqui, deixo algumas das minhas referências e espero inspirá-los a buscar as suas também! (:

https://www.linkedin.com/in/rachelmaia/
https://www.linkedin.com/in/lisianelemos/?miniProfileUrn=urn%3Ali%3Afs_miniProfile%3AACoAABHOVwwB4-UFTdQGf6XyCw_Z-YSPmX9egbY
https://www.linkedin.com/in/felipesouzasilva/

Luana
Luana Aladim, Gestora de Projetos
20 de Novembro 2020