Meios tradicionais nunca mais

...

Há alguns anos esses meios vêm se reinventando e a evolução pode ser vista.

O jornal, domina o cenário digital de notícias, onde na pandemia foi possível ver o crescimento de acessos dos portais.

O meio rádio foi beneficiado pela internet, aumentando seu raio de atuação e, recentemente, ganhando imagem por meio de transmissões ao vivo.

A Mídia Exterior, aumentou sua entrega por meio de interações em novos modelos de anúncios e através da mensuração de resultados, com as novas tecnologias.

Já a televisão, também voltou a crescer na pandemia, e após anos negando a existência desse “novo mundo”, entendeu que o inimigo é um aliado e hoje podemos ver as emissoras com seus streamings, destacando o case nacional do Globo Play que atingiu quase 150 milhões de faturamento.

Essa mudança apresenta agora um novo movimento com a televisão onde, recentemente, a Globo anunciou o projeto Impacto. Experiência de compra por programática pode não ser uma novidade, mas ter a liberdade de programar anúncios baseados em impactos reais no meio televisão, mata de vez o já cansado formato utilizado há décadas e trás ao mercado uma nova era que afetará positivamente todos os setores das agências.

Mídia tradicional nunca mais. Pode chamar apenas de mídia.

Paulo Miguel, Gerente de Business Intelligence
27 de Julho de 2020