Sua empresa é criativa?

...

A criatividade é inerente a todo ser humano. Desde criança somos capazes de criar coisas com nossa mente para suprir o que não temos no momento. Quem nunca viu uma criança brincar de carrinho dentro de uma caixa de papelão ou algo do tipo? A falta do brinquedo não a impede de brincar. E essa criança, quando adulto, continua improvisando na falta de algo com soluções engenhosas como, por exemplo, o velho prego na sandália havaiana ou a panela com a haste de cabo de vassoura.

Logo, uma pessoa criativa é alguém que resolve problemas. É alguém que faz o melhor possível para resolver o problema que tem, onde está, no momento necessário e com os recursos disponíveis. Mas e uma empresa? Uma organização feita por pessoas, precisa ser resolutiva também, porém é um sistema muito mais complexo. Portanto, como identificar se uma empresa é criativa ou não? Como mensurar e avaliar o nível de benefícios gerados pela criação de novas ideias em uma organização?

Para começar a responder a essas dúvidas, separamos alguns pontos, baseados nos estudos do Dr John Kao, ou "Sr. Criatividade" como é conhecido, em que todo gestor precisa pensar sobre criatividade organizacional. Portanto, reflita e responda (anote em algum lugar suas respostas) cada ponto listado abaixo e veja onde estão seus pontos fortes e/ou fragilidades criativas. Vamos lá?

1. Resultados Criativos
Qual a proporção de receita que vem de produtos/serviços criados com idade inferior a um ano? E de produtos/serviços inferior a 5 anos?

Pensando nisso, criamos uma lista com quatro lições básicas que aprendemos com as startups. Vamos lá?

2. Créditos pela Criatividade
Quem levou a cabo as iniciativas mais criativas? Quem as apoiou? Essas pessoas receberam os créditos devidos?

3. Ocasiões Criativas
As ideias criativas ocorreram espontaneamente? Foi resultado de algum desafio específico? Existe alguma metodologia de pesquisa ou evento para geração de ideias? Em que momento elas mais ocorrem?

4. Capital Criativo
Quais são os sistemas existentes para gerar ideias criativas? Para armazená-las? E para protegê-las? Como recompensar pessoas responsáveis por essas ideias?

Criatividade é um capital intangível valioso para as organizações e entender esses pontos acima é o primeiro e imprescindível passo para implementar uma boa prática de gestão de criatividade e inovação em sua empresa. Mas esse é assunto para uma outra conversa.
Abraços a distância! 

Yuri
Yuri Soares é designer e mestrando em inovação
02 de Dezembro 2020